Palavra de especialista
Cinco dicas para incentivar a leitura na primeira infância Publicado: 11 Maio 2019 | Última Atualização: 12 Maio 2019

Acesso aos livros fortalece o desenvolvimento da criança e beneficia o hábito da leitura

O período que abrange a faixa etária de 0 a 5 anos é cheio de descobertas e novos conhecimentos. Nessa fase, também chamada de primeira infância, é hábito dos pais conversar, cantar e explicar as palavras novas que vão surgindo. Mas o que algumas pessoas não sabem é que nessa fase da vida o incentivo à leitura pode trazer inúmeros benefícios, como o fortalecimento da imaginação e dos vínculos familiares, além do desenvolvimento de habilidades importantes para o futuro.

Assim, o acesso aos livros é um convite para as primeiras experiências literárias. “Mesmo antes de a criança compreender as letras e números ela já faz a leitura de imagens e símbolos. Ler e ouvir histórias nesta fase aproxima o conhecimento das informações do mundo e da própria cultura a sua volta”, explica Marcia Nanaka, especialista em educação infantil das Escolas Sociais do Grupo Marista.

Neste processo os adultos têm um papel fundamental como grandes incentivadores. A escola, por exemplo, é um local bastante propício para isso. No Centro Social Marista Irmão Robru, que atende gratuitamente mais de 300 crianças na educação infantil, na Zona Leste de São Paulo, além da biblioteca, há espaços especiais criados com intencionalidade e acesso livre aos livros em sala de aula. “É o momento em que eles podem se dedicar a leitura, a ouvir as histórias. Além disso eles podem levar o livro para a casa, e assim contar da sua maneira a história aos seus familiares”, revela Verônica Lemos, coordenadora pedagógica da unidade.

Em casa, os pais podem dedicar momentos para leitura em família, assim como programas ao ar livre que incluam a leitura.

Veja algumas dicas da especialista Marcia Nanaka para promover o incentivo à leitura desde a primeira infância.

Ler para as crianças
Ao ler histórias para seus filhos os pais podem utilizar vários tipos de entonação na voz, assim como objetos e recursos para ilustrar a leitura. Desta forma, além de ensinar, podem também entreter as crianças. “As histórias mais longas podem ser lidas em partes, todas as noites, antes de dormir, por exemplo”, reforça Marcia.

Visitar bibliotecas públicas e livrarias
Incluir um passeio também é uma ótima referência da importância da leitura. Nestes espaços é comum encontrar uma série de atividades, como contação de histórias, por exemplo, além da possibilidade de manusear os livros.

Oferecer os livros de banho
Os livros de manuseio, conhecidos como livros de banho, são feitos especialmente para serem os companheiros, principalmente dos bebês, na hora do banho. São maleáveis e indestrutíveis, estimulam o sensorial da criança e promovem a introdução ao mundo literário com textos curtos que podem ser lidos durante a atividade.

Levar livros para as atividades ao ar livre
Um piquenique no parque ou até um passeio na praia podem ser atividades nas quais os livros são inseridos. De maneira lúdica, o ato de ler e contar histórias conta com cenários ainda mais reais e bonitos.

Criar um canto de leitura
Manter os livros organizados em casa é essencial para que a criança tenha acesso facilitado a eles. Criar um canto de leitura no quarto também pode contribuir e despertar o interesse dos pequenos.