Palavra de especialista
Jogos divertem e mantêm a mente ativa nas férias Publicado: 16 Dezembro 2019 | Última Atualização: 15 Janeiro 2020

Exercícios que estimulam o cérebro e jogos de raciocínio são alternativas para aqueles que querem se divertir de maneira inovadora no período das férias

Os jogos fazem parte da infância de qualquer pessoa. Seja com um quebra-cabeça, uma partida de xadrez ou um jogo de dominó, a prática sempre foi sinônimo de lazer e descontração entre amigos e família. O período de férias é ideal para aqueles que querem ter momentos de descontração com a prática de jogos.
Além disso, hoje eles estão em alta: o Brasil é líder na América Latina e ocupa o 13º lugar no mundo de desenvolvedores de jogos; tanto eletrônicos como de tabuleiro.
Atualmente, eles não são apenas entretenimento e ajudam a exercitar o cérebro, potencializando a aprendizagem em crianças, estimulando a produtividade de profissionais e, principalmente, mantendo habilidades como memória e garantindo qualidade de vida para idosos de maneira divertida e prazerosa.
Segundo Solange Jacob, Diretora Acadêmica do Método SUPERA, rede de escolas de ginástica para o cérebro, os jogos contribuem para a estimulação das funções executivas que trazem sucesso não apenas na construção de habilidades cognitivas, mas também como socioemocionais, de ética e cidadania.
"Os jogos exercitam o cérebro e proporcionam oportunidades adequadas para o desenvolvimento humano na interação social, na expressão afetiva, na evolução da linguagem, na experimentação de possibilidades motoras, apropriação de regras sociais e imersão no universo cultural”, conta Solange.
Os jogos trazem diversão e também benefícios para pessoas de todas as idades: mantém o cérebro – e a memória! – ativos, desenvolvem técnicas de estratégia, ajudam na resolução de desafios e ainda garantem socialização entre colegas.
“Jogar exige concentração, memória, estratégia, trabalho em equipe e foco para que se alcance objetivos. Com isso, estimulamos o cérebro de forma que criamos novas conexões entre os neurônios, ampliando o que chamamos de reserva cognitiva”, explica a especialista.
Os jogos representam uma das ferramentas utilizadas dentro das academias para o cérebro do Método SUPERA.
Com uma metodologia baseada na neurociência, a ginástica cerebral segue os conceitos de novidade, variedade e desafio crescente, em que alunos de todas as idades têm a oportunidade de interagir com jogos de tabuleiro e online, além de outras ferramentas que estimulam o cérebro.
Patrícia Lot tem 42 anos e procurou o curso de ginástica cerebral do Método SUPERA em São José dos Campos (SP) para fugir do estresse e desenvolver habilidades que a ajudassem a lidar com o cansaço mental do dia a dia. Após conhecer a metodologia e todas as suas ferramentas lúdicas, resolveu que seria uma boa oportunidade de trazer sua filha de 9 anos e juntas, terem experiências divertidas e enriquecedoras – principalmente com os jogos.
“Hoje frequentamos juntas e adoramos compartilhar nossas experiências, pois para nós duas; além de aprendermos a pensar de forma diferente, melhoramos muito o raciocínio lógico, a memória e habilidades que nem conhecíamos”, relata Patrícia.
Nas aulas de ginástica para o cérebro, alunos também praticam as neuróbicas – ou seja, a aeróbica dos neurônios. O objetivo é tirar o cérebro da zona de conforto a partir de atividades inovadoras, realizando atividades do cotidiano de maneira diferente. Isso faz com que os neurônios tenham que encontrar um caminho alternativo para realizar tal atividade. “
“As neuróbicas estimulam padrões de atividade neurais que criam conexões entre as diferentes áreas do cérebro e fazem com que as células nervosas produzam nutrientes naturais do cérebro”, explica Solange Jacob.
Conheça algumas neuróbicas que podem ser feitas em casa, que podem proporcionar momentos descontraídos em família durante as férias:
Ande pela casa de trás para frente
Vista-se de olhos fechados;
Tome banho no escuro ou inverta a ordem;
Veja fotos de cabeça para baixo e tente observar cada detalhe
Veja as horas num espelho; use o relógio de pulso no braço direito (ou no braço esquerdo, se for canhoto)
Faça um novo caminho para um passeio ou introduza pequenas mudanças nos seus hábitos cotidianos
Monte um quebra-cabeça e tente encaixar as peças corretas o mais rapidamente que conseguir, cronometrando o tempo.
Experimente memorizar aquilo que precisa comprar no supermercado ao invés de elaborar uma lista.
Ouça as notícias na rádio ou na televisão quando acordar. Durante o dia, escreva os pontos principais de que se lembrar.
Ao ler uma palavra, pense em outras cinco que comecem com a mesma letra.
Escove os dentes ou escreva em uma folha de papel com a mão contrária da de costume
Para saber mais, acesse www.metodosupera.com.br