Busca:
Home
Tudo sobre cuidado bucal infantil PDF Imprimir E-mail

Especialista e parceira da GUM tira principais dúvidas sobre a rotina de higiene bucal dos pequenos

São muitas as perguntas que surgem quando o assunto é saúde bucal, principalmente se o tema envolve a rotina de bebês e crianças. Pensando nisso, Isabella Mendes, dentista e consultora da GUM, marca mais inovadora de cuidados bucais no Brasil e presente em mais de 90 países, respondeu alguns dos principais questionamentos em relação ao assunto.
Descubra abaixo tudo o que você precisa saber sobre cuidado bucal infantil:

É preciso fazer a higiene bucal mesmo quando o bebê ainda não tem dentes?
Se a amamentação for exclusivamente com leite materno não é necessário realizar a limpeza, porque o leite materno protege a cavidade oral. Isabella explica que as gengivas são tecidos muito sensíveis e que podem servir facilmente como repositório de placa bacteriana. “A limpeza, em bebês sem aleitamento materno exclusivo, pode ser feita com gaze ou fralda umedecida, seja por água filtrada ou soro fisiológico. É essencial que toda a cavidade bucal e gengiva sejam limpas pelo menos duas vezes ao dia, de manhã e à noite”, orienta.

Os primeiros dentinhos já exigem o uso da escova dental?
A dentista explica que enquanto os bebês possuírem apenas os dentes incisivos (aqueles da frente) a limpeza pode continuar sendo feita com fralda, gaze ou dedeira – que pode aliviar a coceira provocada pela erupção dos dentes. Quando nascerem os primeiros molares (dentes do fundo), pode ser iniciada a higiene com escova dental própria para crianças – com cabeça pequena e cerdas macias. Isabella ressalta ainda que é necessário levar os pequenos a um odontopediatra assim que o primeiro dente despontar, afinal, um profissional de confiança poderá indicar os melhores produtos a serem utilizados.

É preciso realizar cuidado bucal mesmo no período em que as crianças não fazem grandes refeições?
Sim. De acordo com Isabella, uma boa rotina de limpeza bucal pode evitar as chamadas “cáries de mamadeira”, que são causadas devido à exposição à líquidos que contém açúcar, como leite, sucos de frutas ou fórmulas especiais para bebês.

Com qual idade as crianças podem escovar os dentes sozinhas?
“Até os três anos, os responsáveis devem escovar os dentes das crianças. Depois disso, elas podem começar a escovar sozinhas para criar o hábito, mas sempre com a supervisão de um adulto para garantir que a limpeza seja completa e eficaz”, pontua a especialista. Ela acrescenta ainda que é importante checar a quantidade de pasta que as crianças utilizam e se não estão ingerindo a espuma.

O gel dental deve conter Flúor?
“Segundo recomendação da Sociedade Brasileira de Pediatria, o Flúor é uma substância importantíssima na preservação do esmalte dos dentes e na prevenção da cárie e pode ser utilizado assim que os dentes molares despontarem”, explica Isabella. A dentista ressalta apenas que é preciso ter muito cuidado com a quantidade de gel dental utilizado nas escovações. O recomendado é que se use uma quantidade referente ao tamanho de meio grão de arroz.

Com qual idade deve começar o uso do fio dental?
Isabella explica que não existe uma idade específica, é preciso apenas esperar que haja o nascimento de um dente ao lado de outro. “É essencial incentivar o hábito da limpeza interdental nos pequenos para que eles se acostumem com a operação e entendam a importância dela, afinal, a falta desse tipo de limpeza deixa o tecido gengival mais exposto à placa bacteriana. Uma maneira muito legal de criar esse costume é utilizando os flossers (fio dental acompanhado de haste), que são muito mais fáceis e práticos de manusear. Os da GUM, por exemplo, possuem fio com aroma e sabor de uva, deixando o momento ainda mais atrativo.

Chupeta deixa os dentes tortos?
A dentista conta que diversos motivos podem levar os dentes das crianças a se formarem de maneira torta e, por isso, é preciso estar atento não só ao uso da chupeta, mas também à mamadeira, dedo na boca e formação óssea. “Caso os responsáveis escolham pelo uso da chupeta, por exemplo, o ideal é ter controle sobre sua remoção, que deve acontecer perto dos 18 meses, idade na qual começam a acontecer transformações ósseas perceptíveis e importantes”, finaliza.