Palavra de especialista
Quer imunidade boa para 2021? Comece por uma alimentação saudável! Publicado: 29 Dezembro 2020 | Última Atualização: 29 Dezembro 2020

É difícil encontrar alguém que saiu intacto de 2020. A pandemia trouxe muitas mudanças ao cotidiano. Além de reforçar uma rotina mais saudável e higiênica, a alimentação saudável está entre as práticas que serão levadas para a vida pós-pandêmica.

Enquanto algumas pessoas descobriram um novo hobbie na cozinha, também houveram os adeptos aos pedidos por delivery - e não foram poucos. Um levantamento, realizado pela Mobilis, detectou aumento de 94% nos gastos com encomendas de comida por aplicativos. E nesta logística, nem sempre os pratos saudáveis são os mais requisitados.

Em um momento em que o Brasil enfrenta uma nova onda do coronavírus, estar com a saúde em dia é essencial. “Se a imunidade está baixa, é porque a alimentação não está boa”, alerta a nutricionista Mainá Valente, especialista em nutrição funcional. Em parceria com a Valecard, além de produzir um livro digital gratuito de receitas saudáveis, Mainá também preparou algumas dicas para quem quer aproveitar o ano novo para mudar os hábitos e adotar uma alimentação consciente e benéfica para saúde em 2021. 

1) Comece pelos ultraprocessados
A nutricionista alerta que os primeiros itens da lista que precisam ser substituídos são os ultraprocessados (macarrão instantâneo, biscoito e salgadinho de pacotes, refrigerantes). Além de serem pobres em micronutrientes, sofrem adição excessiva de açúcar, sal e substâncias químicas. Quanto maior a lista de ingredientes na embalagem e o tempo de validade, pior é o efeito do alimento no organismo.
A mudança não precisa ser repentina, mas sim um processo lento para conseguir adaptá-lo à rotina. Uma dica da profissional é substituir o extrato de tomate pelo preparo caseiro, utilizando a fruta in natura, assim como preferir o açúcar de coco ao invés do refinado.

2) Planejamento alimentar
Já que muitas vezes a vida é consumida por uma rotina apertada, vale fazer cardápios semanais para dar tempo de preparar a dispensa com os ingredientes. Esse planejamento deve priorizar as frutas e verduras da estação, que além de receberem menos agrotóxicos, também deixam as compras na feira mais em conta. Quando essa organização é alinhada com antecedência, também é possível ficar menos refém dos produtos ultraprocessados.

3) Cuidar dos três pilares da vida saudável
Além de uma alimentação desbalanceada, há outros dois males que podem ser vilões para o bem-estar: o sono e o estresse. É comum as pessoas trocarem um bom momento de sono pela tela do celular e do computador. E a consequência de uma noite mal dormida poderá ser momentos de estresse por cansaço um organismo vulnerável.
Além de evitar o smartphone após às 21h, a nutricionista indica as pessoas procurarem atividades que potencializam o equilíbrio do corpo, como a yoga e a meditação.