Palavra de especialista
No combate à obesidade infantil, a lancheira saudável é um desafio para os pais Publicado: 31 Janeiro 2019 | Última Atualização: 09 Fevereiro 2019

Projeto Lancheria desenvolvido pela médica Flavia Oliveira para auxiliar no combate à obesidade infantil e problemas relacionados à alimentação.

A médica Flavia Oliveira, mãe de dois meninos, desenvolveu o projeto “Lancheira Saudável” o que antes era somente para seus filhos, hoje auxilia suas pacientes e muitas mães preocupadas com a alimentação de seus pequenos.
Não é novidade nenhuma que a obesidade infantil tem, cada vez mais, se tornado um problema mundial. Por isso, não é de se surpreender que a busca por alternativas gostosas e mais saudáveis para a alimentação das crianças tenha se tornado um destaque e que as mamães, é claro, estão travando uma verdadeira batalha contra o sobrepeso de seus pequenos.
Com isso em mente, a pediatra Dra. Flavia Oliveira da Clinica Medprimus em São Paulo, mãe de dois meninos, desenvolveu o projeto Lancheira Saudável, que tem como objetivo, justamente, pensar em lanches mais nutritivos para as crianças levarem para a escola. Já se sabe que são poucas as lanchonetes no interior das escolas que contam com alimentação saudável e nutritiva.
A pediatra explica que uma lancheira ideal precisa consistir em três alimentos básicos: os reguladores, os construtores e os energéticos. Proteínas mais naturais devem ser sempre prioridade, deixando embutidos gordurosos, como o presunto e o salame, bem longe da lancheira.
Para dar energia, variar o pão do lanche é uma boa opção, para que a criança não enjoe e continue consumindo uma quantidade saudável de carboidratos e manter o seu nível energético diário - as crianças precisam de energia para brincar e estudar.
Uma fruta para finalizar – em forma de suco ou natural – é uma boa opção de regulador. “Vale lembrar que, no caso dos sucos de caixinha, é sempre melhor optar pelos que não têm corantes ou com baixo teor de sódio.” Completa Dra. Flavia de Oliveira.
A pediatra não esperava que seu projeto fosse despertar tantas mães, tias, avós e profissionais da educação. Atualmente ministra palestras em colégios importantes de São Paulo, como o Augusto Laranja.