Palavra de especialista
Cinco dicas para incentivar o comportamento empreendedor nas crianças Publicado: 27 Maio 2019 | Última Atualização: 03 Junho 2019

Uma das grandes preocupações dos pais em relação aos filhos pequenos é sobre como será o futuro deles.

É fato que não é possível definir o destino deles desde a infância, mas algumas dicas podem ajudar os pais a ensinar sobre a importância da tomada de decisões em momentos decisivos.

A seguir, Isa Minatal, do Manhã sem Limites, do YouTube, dá 5 dicas para incentivar o comportamento empreendedor nos pequenos.

1. Deixar as crianças tomarem MICRODECISÕES: Só se aprende a fazer boas escolhas... praticando! As decisões podem ser divididas em macro e micro. Macrodecisões são aquelas de grande porte que impactam vários membros da família ou que têm relação com saúde e segurança. Já as Microdecisões são as de pequeno porte, que dizem respeito a somente um membro da família e que não impacta a saúde e a segurança. E essa segunda pode – e deve – ser incentivada na criança;

2. Evitar a OBEDIÊNCIA CEGA: "Porque eu tô mandando!", "Porque eu sou tua mãe (teu pai)!" são justificativas que não promovem reflexões, mas, sim, obediência cega. Empreendedores não fazem coisas que não fazem sentido para si. Explique os "porquês das coisas" para sua criança. Converse mais, respeite mais e surpreenda-se com os resultados;

3. Dê AUTONOMIA para sua criança: Comece a se aprontar mais cedo quando for sair para poder ter tempo de deixar sua criança exercitar sua autonomia: trocar-se, lavar-se e arrumar-se sozinho (ou quase) são ações simples que fazem muita diferença no desenvolvimento da independência e da autoconfiança das crianças, características, estas, fundamentais para um empreendedor de sucesso. Tenha paciência, não critique se o resultado não sair como esperava e entenda que ela está aprendendo. Quando ela tiver décadas de prática abotoando calças, ela ficará rápida como nós;

4. Use sua PERSUASÃO como modelo: ao invés de brigar para conseguir que a criança faça o que você quer, seja modelo de persuasão e criatividade. Use formas diferentes para convencer a criança e envolvê-la nas atividades do dia-a-dia. Uma música para escovar os dentes, uma brincadeira para se despedir na chegada da escola, uma história sobre a importância do uso do cinto de segurança no carro. Lembre-se que o idioma da criança é composto por músicas, histórias e brincadeiras. A vida fica mais leve e ela se tornará uma empreendedora criativa assim;

5. Incentive o TRABALHO: criança não deve ser obrigada a se envolver em uma atividade profissional durante a infância, claro, mas aquelas iniciativas de vender "limonada na frente de casa" devem ser incentivadas e estimuladas. Se a criança quer um presente caro, ensine-a a traçar uma meta, trabalhem juntos em ideias de como ela pode conseguir uma parte do dinheiro e, assim, a educação financeira já começa a acontecer.